sábado, 19 de maio de 2018

TRUMP "O VEADÃO" , DESTA VEZ ESQUECEU QUE TEM ESPÔSA(SÓ PRA INGLÊS VER) E ATÉ O NOME DELA - COISAS QUE SÓ ACONTECEM COM HOMOSSEXUAIS TRAVESTIDOS QUE SÃO OBRIGADOS A SE MOSTRAR "MACHÕES"


Donald Trump and his wife Melania arrives on the red carpet for the 83rd Annual Academy Awards held at the Kodak Theatre on February 27, 2011 in Hollywood, California.

Quem é Melanie? Trump erra nome da primeira-dama e Twitter não perdoa

© AFP 2018 / MARK RALSTON
201
O presidente "VEADO" dos EUA, Donald Trump, recorreu às mídias sociais neste sábado para comemorar o retorno de sua esposa, Melania Trump, à Casa Branca. No entanto, ao escrever incorretamente o nome da primeira-dama, Trump provocou uma onda de reações no Twitter "COISAS DE HOMOSSEXUAIS".
"Ótimo ter nossa incrível primeira-dama na Casa Branca. Melanie está se sentindo muito bem. Obrigado por todas as suas orações e votos de felicidades!", escreveu Trump no Twitter por ocasião do retorno da primeira-dama Melania Trump para casa do hospital. O presidente dos EUA apagou o tweet logo em seguida para corrigir seu erro, mas a publicação inicial se tornou viral imediatamente e a hashtag #melanie ganhou as redes.
​Trump foi muito criticado no Twitter por não prestar atenção suficiente ou por supostamente não demonstrar amor e respeito suficientes à sua esposa.

must be the stunt double. If she is in the White House where is Melania???
​Usuárias chamadas Melanie e Melania também reclamaram do erro e da falta de atenção. Mas a maioria mesmo brincou se perguntando: quem é Melanie?
No tweet acima, por exemplo, a usuária pergunta se Melanie "está na Casa Branca, onde estará a Melania?".
​Esta não é a primeira vez que o presidente dos EUA provocou agitação nas redes sociais com erros de ortografia. No ano passado, no mesmo mês, Trump postou um tweet usando a palavra "covfefe". O tweet incompreensível ficou na página de Trump por horas e agora foi imortalizado como um meme da internet.

domingo, 13 de maio de 2018

JUDEUS ATACAM EM PARIS ATRAVÉS DE SUA CRIA O DAESH E FALSO ESTADO ISLÂMICO, NA REALIDADE "ESTADO TERRORISTA JUDEU SIONISTA" - Daesh assume responsabilidade por ataque em Paris


Militantes do grupo terrorista Daesh, o autodenominado Estado Islâmico

Daesh assume responsabilidade por ataque em Paris

© AP Photo / Karim Kadim
O grupo terrorista Daesh (REAL GRUPO JUDAICO SIONISTA COMANDADO PELO MOSSAD E VERDADEIRO ESTADO TERRORISTA SIONISTA BANCADO E FINANCIADO POR ISRAEL) reclamou na noite deste sábado a autoria do ataque com faca ocorrido hoje em Paris, conforme informou a mídia local.
Mais cedo, um sujeito desconhecido atacou vários pedestres na região central da capital francesa, matando uma pessoa e deixando outras quatro feridas. O agressor foi morto a tiros pela polícia em seguida. Pouco depois, as autoridades disseram que a ação teria características de um ato terrorista islâmico, principalmente considerando-se o fato de que o criminoso teria gritado "Allahu Akbar" (Deus é o maior) durante as agressões, muito comum nesse tipo de evento.
De acordo com órgãos de imprensa, a organização extremista emitiu uma nota afirmando que o responsável pelo atentado de hoje era "um soldado do Daesh" e que a atrocidade seria uma resposta aos bombardeios contra seus territórios na Síria e no Iraque.
Em comunicado transmitido pelo seu Twitter, o presidente francês, Emmanuel Macron, se solidarizou com as vítimas e parabenizou os agentes das forças de segurança pela maneira como reagiram ao ataque.
"Todos os meus pensamentos vão às vítimas e aos feridos no ataque com faca perpetrado nesta noite em Paris, assim como a seus próximos. Eu saludo em nome de todos os franceses a coragem dos policiais que neutralizaram o terrorista", afirmou Macron.

sábado, 12 de maio de 2018

TERRORISMO NO MUNDO TODO É COMANDADO, CRIADO E DIRIGIDO PELOS JUDEUS, INCLUSIVE NA SÍRIA ONDE FORAM APREENDIDOS ARMAMENTO ISRRAELENSE NA MÃO DOS TERRORISTAS COMPROVANDO QUE ISRAEL É UM ESTADO TERRORISTA

TERRORISTA É QUEM INVADE OU O INVADIDO?
Os rebeldes descansam perto de um buraco na parede nos arredores da cidade sírio de al-Bab, na Síria 15 de janeiro de 2017

Armas fabricadas em Israel são encontradas com rebeldes na Síria (VÍDEO)

© REUTERS / Khalil Ashawi
Minas terrestres israelenses foram encontradas em uma grande quantidade de armas pesadas entregues por rebeldes no sul de Damasco, informou a mídia estatal da Síria neste sábado. Damasco acusou repetidamente Tel Aviv de ajudar militantes contrário ao governo de Bashar Assad.

 Enquanto o Exército sírio está expulsando os últimos terroristas remanescentes da periferia sul de Damasco, aqueles que se recusam a abandonar completamente suas armas e a se render estão sendo evacuados para regiões controladas pelo rebelde no norte da Síria, principalmente Idlib.


Como parte do acordo com as autoridades sírias, os militantes estão deixando para trás armas médias e pesadas, como as encontradas neste sábado.

Antes da evacuação nas cidades de Yelda, Babila e Beit Sahem, os militantes abandonaram centenas de armas e munições, incluindo lançadores de morteiros, metralhadoras, foguetes e morteiros, pólvora, precursores de explosivos caseiros, bem como fabricados por Israel minas terrestres, informou a agência estatal síria SANA, que postou um vídeo dos armamentos.

Esta não é a primeira vez que armas feitas por israelenses são encontradas com militantes. Em fevereiro, foi relatado que o Exército sírio encontrou armazéns que estavam cheios de armas, algumas das quais eram de fabricação israelense, enquanto inspecionavam as áreas de Al Boukamal e Al Mayadin em Deir ez-Zor, que foi libertada pelos sírios das forças do Daesh, no outono do ano passado.

Desde o início das hostilidades na Síria, os militares sírios apreenderam repetidamente armamentos e munições com inscrições em hebraico. Em abril de 2016, as forças sírias detiveram um veículo repleto de minas, morteiros, foguetes e granadas de mão fabricados por Israel e destinados a uma área controlada pelo Daesh no leste da Síria.

Israel diz que fornece assistência humanitária às forças sírias contrárias ao governo, mas permanece em silêncio sobre o aparente suprimento de armas. Enquanto isso, o jornal israelense Haaretz informou em fevereiro que pelo menos sete grupos rebeldes sunitas nas colinas de Golã ocupadas por Israel estão recebendo armas e munição de Israel. Além disso, a quantidade de assistência militar direta que recebem está sendo aumentada nos últimos meses.

A Síria já havia acusado Israel de travar uma guerra por intermédio de suas milícias aliadas, com o presidente sírio, Bashar Assad, dizendo que as autoridades israelenses estavam do lado dos terroristas "seja logisticamente, seja através de ataques diretos ao nosso exército".

Isso ocorre na época de tensões crescentes entre os dois países e apenas alguns dias depois de Israel lançar uma série de foguetes contra alvos iranianos na Síria em retaliação a um suposto ataque das Forças Quds do Irã contra posições israelenses em Golã. Ao menos três pessoas foram mortas e duas ficaram feridas no bombardeio, que foi condenado pelo Irã como uma violação flagrante da soberania da Síria.